Home»FOTOGRAFIA»Como evitar alguns dos maiores erros na hora de regular a velocidade do obturador?

Como evitar alguns dos maiores erros na hora de regular a velocidade do obturador?

1
COMPARTILHAMENTOS
Pinterest Google+

Como uma parte essencial da exposição, a velocidade do obturador pode facilmente dar errado
na sua fotografia. Ao mesmo tempo, as suas contrapartes – ISO e abertura – podem ser ainda
mais complicadas quando não usadas corretamente. Você vai se surpreender quando descobrir
as inumeras formas que a velocidade do seu obturador pode arruinar sua foto, mas o Amigo
Fotógrafo vai te ajudar a evitar esses erros!

Parece desesperador, não é? Mas calma, a boa notícia é que não existem muitos
fatores em jogo quando falamos de velocidade do obturador, a não ser quando o
assunto são objetos e ambientes com pouca iluminação. A velocidade do obturador
normalmente é utilizada para controlar a exposição da sua fotografia, além de também
ter um papel fundamento quando você precisa fotografar objetos em alta velocidade
(como um jogador de futebol, por exemplo) ou criar um mood mais dramático com
efeitos de desfoque para objetos em movimento (uma das coisas mais difíceis na fotografia, aliás).

Agora dá uma olhada nessas dicas:

Fotos que saem muito embaçadas
Se as suas fotografias estão ficando muito embaçadas, você está fazendo algo errado.
Felizmente, é muito fácil identificar o porque do embaçamento nos seus cliques.
Normalmente, isto acontece devido a dois motivos: ou você tem um objeto que se
moveu muito rápido para as configurações atuais da sua câmera, ou você não
conseguiu manter o seu objeto em foco.

Se a sua fotografia está embaçada devido ao primeiro erro, você pode facilmente
resolver isso deixando mais rápida a velocidade do seu obturador. Fácil, não é?
É importante entender que cada tipo de movimento irá te exigir diferentes tipos de
velocidades para o clique perfeito. Por exemplo, se você está fotografando um carro
em movimento, a velocidade recomendada para o seu obturador é de 1/1000 de
segundo. Se o objeto é uma pessoa andando, 1/250 de segundos irá funcionar bem. O
segredo é treinar e saber as velocidades ideais para cada situação!
Objetos em movimento congelados.

Se você fotografou um objeto que deveria retratar movimento, mas ao ver a foto
percebe que a fotografia parece estar totalmente estática, temos um problema a
resolver. A fotografia ideal para esse tipo de cenário é ter o seu objeto perfeitamente
em foco enquanto o fundo da imagem encontra-se borrado (efeito panning).
Lembre-se que quanto mais rápido for a sua velocidade do obturador, com mais
eficiencia você conseguirá congelar objetos em movimento. Naturalmente, se você
quer imagens que parecem menos congeladas, você precisa diminuir a velocidade do
seu bturador para obte-las. Se você realmente quer usar uma velocidade muito rápida
no seu obturador, normalmente só é recomendado para objetos que já estão em uma
velocidade muito rápida, como carros de corrida por exemplo.

Agora se você quer fotografar objetos em movimentos, manter o objeto central
estático e em foco, e mesmo assim obter a ideia de movimento em sua fotografia, você deverá usar o efeito panning seguindo o objeto com a sua câmera enquanto usa uma velocidade normal no seu obturador. Isso irá causar a distorção no fundo e ao
mesmo tempo fazer parecer congelado o seu objeto.

Falta de movimento
Muitas vezes, o oposto do exemplo anterior pode acontecer, quando se tem muito
pouco movimento em uma fotografia. Você pode facilmente perceber quando não se
tem o movimento adequado para a cena, ou quando não se tem o desfoque ou
distorção suficiente que você gostaria de criar.
A distorção ideal para a sua fotografia (quando o efeito é desejado) não deve ser tão
aparente, mas também não deve ser insuficiente. E chegar a esse meio termo pode ser
desafiador logo de cara. Nesses casos, o ideal é você começar usando uma velocidade
baixa (mas não tão baixa) e ir regulando até achar a fotografia ideal que está
buscando.
Fotos com superexposição ou estouradas
Agora você já está começando a perceber como a velocidade do seu obturador pode
ser uma pedra no sapato, não está? Veja uma coisa muito importante para se saber
como fotógrafo: quando você altera uma das propriedades de sua câmera, algumas
vezes você afeta outras, o que resulta em ajustes adicionais.
Isso pode acontecer com imagens superexpostas, ou seja, aquelas que saem muito
claras na fotografia. Quando você está usando uma velocidade muito baixa e esse
problema acontece, você deve começar a pensar que a solução pode estar em outro
lugar além da velocidadade do obturador.

Veja só, se você está usando uma baixa velocidade do obturador, isso quer dizer que
você está expondo o sensor de sua câmera à luz durante um longo período de tempo.
Como resultado, você terá uma foto com muito brilho. Mas se a sua foto estiver com
um brilho excessivo, isso quer dizer que você teve uma imagem superexposta, e
fotografias com superexposição são normalmente bem difícies de se recuperar.
Para resolver esse problema, você pode aumentar a velocidade do seu obturador, mas
também pode diminuir o valor do seu ISO, reduzir a abertura e ir explorando o seu
medidor de luz (fotometro). Mesmo assim, a sua primeira e melhor tentativa pode ser
aumentar a velocidade. Uma velocidade rápida do obturador quer dizer menos tempo
para a luz entrar na sua lente e atingir o sensor, então é um bom chute, não é?

Áreas escuras na minha foto
Existe uma situação que faz com que flashes e obturadores normalmente não
funcionem muito bem juntos. Isso acontece quando você está lidando com velocidades
muito rápidas. Nessas situações, você irá se deparar com uma porção notável e
indesejada de região escurecida na sua fotografia.
Mas o que fazer? Primeiro, entenda como os obturadores funcionam. Podemos dizer
que um obturador funciona como uma “cortina”com parte superior e inferior. Quando
você aperta o botão para fotografar, essa parte superior da cortina se abre para expor
o sensor da sua câmera.

Quando a duração de tempo escolhida na velocidade do obturador termina, a parte inferior da cortina se fecha para interromper a exposição. Nessa lógica, se a velocidade do obturador é excessiva, a cortina de baixo começa a se
fechar antes mesmo da primeira cortina terminar seu serviço, e se fechar.
Neste caso, se você está usando flash, a luz do flash não será capaz de atingir o sensor
por completo. E por este motivo você tem como resultado regiões escuras em sua
fotografia quando a velocidade do obturador está muito rápida.

É claro, obturador e flash podem trabalhar juntos, mas certifique-se de que você está
usando a função de sincronismo com flash (flash sync), disponível na maioria das
DSLR’s atuais. Essa função faz com que você tenha conhecimento da velocidade
máxima que você pode usar na sua câmera com o flash ( normalmente entre 1/180 até
1/250). Se a sua câmera não tem essa função, não existe outra alternativa além de
fazer uma experimentação com velocidades mais baixas.

Não deixe a velocidade do obturador se tornar o seu inimigo!
Os erros com a velocidade do obturador podem ser tão facilmente cometidos que você
deve estar pensando “meu deus, eu sou o próximo”. Mas calma, nada é um bicho de
sete cabeças para o leitor do Amigo Fotógrafo. Um dica importante é sempre entender
muito bem como o ISO, Diafragma e Velocidade do Obturador funcionam
indivualmente e em conjunto. Você pode ficar fera nisso navegando em algumas
matérias por aqui .
Mas como você sabe, a boa notícia é que esses erros são bem fáceis de serem
corrigidos. Lidar com esses problemas só vai te exigir um pouquinho de bom senso
como fotógrafo e alguns recursos, e os ajustes sempre estarão perfeitos quando você
escolher a velocidade do obturador certa para o tipo de fotografia que você está
produzindo.

Previous post

O Impacto do Coronavírus no Mundo - COVID 19

Next post

8 DICAS RÁPIDAS PARA FOTOS EM LONGA EXPOSIÇÃO

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *